imposto de renda

 

No mês de Março começa a correria para realizar a Declaração do Imposto de Renda e a TRANSFORMA separou 10 dúvidas comuns para te ajudar hoje!

Organize-se e não deixe para enviar em cima da hora.  😉

 

 

1. Quem é obrigado a declarar o IR 2017?

Em 2017, é obrigado a declarar Imposto de Renda o brasileiro que, em 2016, morava no país e se encaixou em qualquer uma das situações abaixo:

  • Alcançou renda superior a R$ 28.559,70;
  • Recebeu mais de 40 mil como indenização judicial;
  • Teve ganho com venda bens (ex. imóvel);
  • Comprou ou vendeu ações em bolsa;
  • Recebeu mais de R$ 142.798,00 em atividade rural;
  • Era dono de bens de mais de R$ 300.00,00;
  • Passou a morar no Brasil e ficou até o dia 31 de dezembro;
  • Vendeu casa e comprou outra no prazo de 180 dias, usando isenção de IR no momento da venda;

2. Prazo para entrega da declaração?

Diferente dos últimos anos, que o encerramento da Declaração do Imposto de Renda era agendado para o último dia do mês de Abril, agora para o ano de 2017 a Receita Federal antecipou dois dias para o encerramento da Declaração do Imposto de Renda, que está marcada para a sexta feria do dia 28 de abril de 2017, sem a menor chance de prorrogação.

Tentem organizar todas as receitas e despesas para informar de uma única vez os dados fiscais para a Receita Federal, no sentido de evitar a retificação da Declaração do IR.

3. Completa ou simplificada?

O próprio programa do Imposto de Renda indica qual é o modelo pelo qual o contribuinte poderá ter restituição maior ou pagar menos imposto.

É necessário preencher as informações disponíveis na declaração, como rendimentos, bens e direitos, dependentes, dívidas e pagamentos. Com base nessas informações o programa irá mostrar qual a melhor opção.

É preciso ter atenção ao escolher o modelo completo ou simplificado, pois a retificação da declaração para troca de opção só é permitida até o fim do prazo de entrega.

4. Deve incluir dependentes?

Nem sempre vale a pena incluir todos os dependentes na declaração. Apesar de a Receita permitir o abatimento de R$ 2.275,08 por dependente, de R$ 3.561,50 com gastos de educação e de despesas médicas sem limite, é preciso estudar antes.

Tudo porque a Receita obriga a incluir os rendimentos recebidos pelos dependentes. É necessário fazer a simulação das duas formas para verificar se há mais restituição a receber ou menos impostos a pagar incluindo ou não os dependentes.

5. Quem pode ser dependente?

  • Companheiro(a) com quem o contribuinte tenha filho ou viva há mais de 5 anos, ou cônjuge;
  • Filho(a) ou enteado(a), de até 21 anos de idade, ou em qualquer idade se for incapacitado física ou mentalmente para o trabalho;
  • Filho(a) ou enteado(a), de até 24 anos de idade que ainda estiver cursando superior ou escola técnica de segundo grau;
  • Pais, avós e bisavós que, em 2016, tenham recebido rendimentos até R$ 22.847,76;
  • Menor pobre de até 21 anos que o contribuinte crie e eduque e de quem detenha a guarda judicial;

6. Quanto posso deduzir com educação?

Só podem ser deduzidas despesas com educação do titular ou dependentes no limite de R$3.561,50 para cada um.

Os gastos deduzidos podem ser de gastos com mensalidades de educação infantil, ensino fundamental, ensino médio, educação superior (graduação e pós-graduação) e também educação profissional (ensino técnico).

Os gastos com transporte escolar, uniformes, material escolar, curso de idiomas ou preparatórios para vestibular não podem ser deduzidos.

7. Posso deduzir remédios?

Não, a menos que estes medicamentos integrem a conta do hospital.

8. Perdi meu informe de rendimentos. O que posso fazer?

Se você perdeu o Informe de Rendimentos fornecido pela sua fonte pagadora você deverá solicitar uma segunda via ou consultar por meio eletrônico, se for possível.

A Receita Federal cruza os dados da fonte pagadora e do contribuinte, portanto o mais indicado é preencher sua declaração sempre com as informações fornecidas pela empresa.

9. Tenho impostos a pagar. Como faço?

Para acertar as contas com a Receita Federal, o contribuinte pode pagar o imposto de uma única vez ou parcelar, dependendo do valor.

Se o imposto foi inferior a R$10 ele não deve ser pago e será somado ao imposto do ano seguinte e só poderá ser quitado quando atingir o valor mínimo de R$10.

Se o imposto estiver entre R$10 e R$100, deverá ser pago de uma única vez e o prazo final para o pagamento é 28 de abril.

Caso o imposto for maior que R$100, ele poderá ser parcelado em até 8 vezes, com parcela mínima de R$50. A primeira parcela também vence dia 28 de abril e as demais deverão ser pagas até o último dia útil dos meses seguintes.

A impressão do boleto (Darf) pode ser feita no próprio programa da declaração do IR e poderá ser paga com débito em conta corrente ou diretamente no caixa.

10. Tenho direito a restituição. Quando vou receber?

Caso a Receita veja que o contribuinte pagou mais imposto do que deveria, ele tem direito a uma restituição, ou seja, a receber de volta uma parte do que foi pago. Se a declaração não tiver nenhum problema, essa restituição é paga pela Receita Federal até o mês de dezembro.

Primeiros lotes: Para o contribuinte que tem valores a restituir, quanto mais cedo a pessoa enviar as informações à Receita Federal, maiores são as chances de receber a restituição do imposto no primeiro lote, com previsão para o dia de 16 de junho de 2017.

 

Precisa de auxilio para fazer a sua declaração ou ainda ficou com alguma dúvida?

Entre em contato com o Vilson da Valandro Contabilidade – vilson@valandro.com.br

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×
Olá! Muito obrigado por entrar em contato! Em breve responderemos sua mensagem.